17 de dez de 2008

A justiça não é igual para todos

O Judiciário brasileiro trata mal os pobres – especialmente os negros – e tem resistência em cumprir a função que a Constituição Federal lhe atribuiu. Vários estudos demonstram que o acesso à Justiça no Brasil não é igual para todos e que a raça e o nível social podem influenciar nos resultados dos processos judiciais, criando dificuldades para que práticas racistas sejam exemplarmente punidas. Continua...

Fonte: jornalpequeno

16 de dez de 2008

PROPAGANDA IDEOLÓGICA NAS TELENOVELAS DA REDE GLOBO

A produção televisiva de ficção no Brasil, sobretudo do mercado de telenovelas da rede Globo, tem incorporado com freqüência em seus produtos a contra-propaganda de bandeiras dos movimentos sociais da esquerda brasileira, haja vista o caso da crítica à política de cotas para negros nas instituições de ensino superior, em “Duas caras”, e a defesa aberta das empresas de celulose em “A favorita”, ambas telenovelas do assim chamado “horário nobre”, espaço de maior índice de audiência, em que o preço do anúncio dos comerciais atinge a taxa mais alta.

No limite, o hábito cultural de consumir telenovelas, com a disciplina de horas diárias dedicadas ao gesto da entrega ao entretenimento, é também o momento de introjeção inconsciente do ponto de vista da classe dominante sobre assuntos estratégicos para manutenção de seu projeto de poder.

No último capítulo de “Duas Caras” uma família multirracial posa feliz para a fotografia que pretende retratar a efetivação do modelo ideal de integração racial no Brasil: a retomada anacrônica do mito da democracia racial. Para uma telenovela que concentrou pesada artilharia na legitimidade da política de cotas para negros, e na legitimação da privatização do ensino superior brasileiro, com direito até a personagem negro que escondia sua condição de riqueza para, supostamente, numa manobra populista, falar em nome dos negros pobres, a fotografia parecia expressar com certo sarcasmo, o júbilo com a batalha vencida no campo da ficção.

Fonte e mais informações: http://www.irohin.org.br

Crimes na "Internete"

Crimes contra a honra (injúria, calúnia e difamação), extorsão, pedofilia, estelionato, fraudes com cartão de crédito, desvio de dinheiro de contas bancárias. A lista de crimes cometidos pela Internet é extensa e sua prática tem aumentado significativamente.

Atualmente existem mais de 17 mil decisões judiciais envolvendo crimes virtuais. Cerca de 95% dos delitos já estão tipificados no Código Penal. Os outros 5% para os quais faltaria enquadramento jurídico abrangem transgressões que só existem no mundo virtual, como a distribuição de vírus eletrônicos, cavalos-de-tróia e worm.

Fonte: http://www.jornalpequeno.com.br/2008/12/1/Pagina92635.htm

CCJ DO SENADO ADIA VOTAÇÃO DO PROJETO DAS COTAS RACIAIS

A Comissão de Constituição e Justiça do Senado adiou nesta quarta-feira a votação do projeto que estabelece cotas raciais e sociais nas universidades públicas federais de todo o país.O senador Demóstenes Torres (DEM-GO) pediu o adiamento da votação para que na próxima segunda-feira seja feita uma audiência pública sobre o assunto.

A matéria dever voltar à pauta da CCJ na próxima quarta-feira.O texto, já aprovado na Câmara, determina que 50% das vagas nas universidades sejam reservadas a alunos de escolas públicas. Metade dessas vagas deverá ser distribuída de acordo com critérios raciais e estabelecida proporcionalmente à distribuição populacional do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). A outra metade será distribuída conforme a renda familiar per capita, menor que um salário mínimo e meio.

10/12/2008
Retirado do site do Jornal do Brasil.Agência BrasilBRASÍLIA -