4 de set de 2009

TJDFT JULGA CASO DE RACISMO NA INTERNET NESTA QUINTA-FEIRA

Está previsto para ser julgado nesta quinta-feira (3/9) o recurso do Ministério Público do DF (MPDFT) contra a decisão, em 1ª instância, da 6ª Vara Criminal de Brasília de absolver um jovem acusado de cometer racismo na Internet. O caso entrou na pauta da 2ª Turma Criminal do Tribunal de Justiça do Distrito Federal (TJDFT). O relator responsável é o desembargador Robeval Belinati.

O caso foi denunciado ao Ministério Público de São Paulo (MPSP) por um internauta paulista. O órgão investigou o acusado brasiliense, constatou o racismo e remeteu o inquérito para o MPDFT, em agosto de 2005. Marcelo Valle Vieira Mello foi denunciado pelo MPDFT em 21 de setembro de 2005. Na ocasião ele tinha 19 anos. O acusado chegou a afirmar, em depoimento, que parte dos fatos narrados da audiência eram verdadeiros.

VAMOS ACOMPANHAR ESTE CASO ATÉ SEU DEFECHO FINAL, COM A CONDENAÇÃO DOS/DAS RACISTAS VIRTUAIS.

Revista Claudia e UNIFEM defendem o fim do racismo

Com imediata adesão à campanha “Pelo fim do racismo!”, UNIFEM considera decisivo o engajamento da imprensa brasileira no debate sobre as relações raciais e no combate ao racismo


Nelson Mandela, Elisa Lucinda, Barack Obama, Daiane dos Santos e Oprah Winfrey são alguns dos porta-vozes da campanha da revista Claudia “Pelo fim do racismo!”, lançada neste mês. Com seis páginas dedicadas aos depoimentos de negras e negros dos cenários político, cultural e acadêmico, a revista revela histórias de luta e superação do racismo.


“Racismo é o fim. Por isso, Claudia faz, nesta edição, um manifesto pelo fim do racismo, a mais abominável forma de exclusão que ainda persiste no Brasil e no mundo”, explica Marcia Neder, em editorial da revista.



Posicionada em relação aos grandes temas nacionais, a diretora de redação firma o compromisso. “Fomos os últimos a acabar com a escravidão, e o mito da democracia racial só fez atrasar a discussão sobre a igualdade. Tem muito trabalho pela frente. Mas não é tarde, não”, completa Marcia Neder.


Com imediata adesão à campanha “Pelo fim do racismo!”, Rebecca Reichmann Tavares, representante do UNIFEM Brasil e Cone Sul, considera decisivo o engajamento da imprensa brasileira no debate sobre as relações raciais e no combate ao racismo.



“A revista Claudia está dando uma demonstração de como é importante os veículos de comunicação tomarem posição diante dos grandes temas nacionais. A cobertura jornalística equilibrada sobre as relações raciais no Brasil é fundamental para a desconstrução do racismo”, afirma Rebecca, que responderá as perguntas sobre racismo no site WWW.claudia.com.br/defende-causa


Leia as frases que integram o manifesto “Pelo fim do racismo!”


Opine no fórum: como pôr fim ao preconceito racial?

MICROSOFT PEDE DESCULPAS APÓS TROCAR CABEÇA DE NEGRO EM FOTO

Empresa pôs cabeça de branco no lugar da de negro em imagem para seu site na Polônia.
- A Microsoft pediu desculpas após ser acusada de editar uma foto na qual a cabeça de um homem negro foi trocada pela de um homem branco.
A foto, que mostrava empregados sentados ao longo de uma mesa de reunião, apareceu em sua versão original no site da empresa nos Estados Unidos.
Mas no seu site para a Polônia, a gigante do software trocou a cabeça do homem negro por um homem branco, mas deixou a mão do homem intocada.
A Microsoft disse que retirou a imagem de seu site e que investigará quem foi o responsável pelas mudanças na imagem.
A empresa pediu desculpas formais pela gafe.
A imagem alterada, na qual havia também um homem asiático e uma mulher branca, foi amplamente divulgada e circulada em sites e blogs na internet.
Em discussões online, alguns bloggers afirmaram que a Microsoft estava tentando agradar a todos os gostos ao ter um homem com uma face branca e mãos negras.
Outros sugeriram que a empresa pode ter alterado a imagem para refletir melhor a composição étnica da população da Polônia.
Fonte: BBC Brasil