12 de set de 2008

PESQUISA: RETRATO DAS DESIGUALDADES DE GÊNERO E RAÇA

O presente documento apresenta uma análise preliminar de dados da 3ª edição do Retrato das Desigualdades de Gênero e Raça, estudo elaborado pelo Ipea desde 2005 com informações sobre a situação social brasileira sob a ótica dos dois determinantes principais das desigualdades existentes em nosso país.

A terceira edição completa apresentará os dados das Pnads de 1993 a 20071 sobre diferentes temáticas, com o recorte de sexo e de raça. Desta forma, será produzida uma série de cerca de 200 tabelas, disponibilizadas em Microsoft Excel, que retratam a realidade de brancos, negros, homens e mulheres em nosso país, e as mudanças ocorridas na última década.

Os temas abordados são:
População; Chefia de família; Educação; Saúde; Previdência e assistência social; Mercado de trabalho;Trabalho doméstico remunerado; Habitação e saneamento; Acesso a Acesso a bens duráveis e exclusão digital;Pobreza, distribuição e desigualdade de renda;
e Uso do tempo.

Fonte e mais informações:

9 de set de 2008

1º Ano da Carta de Salvador - A Inclusão Digital está Acontecendo???

A Carta de Salvador foi entregue no dia 29 de novembro de 2007, ao assessor especial da Presidência da República, Cesar Alvarez, durante o encerramento da Sexta Oficina para Inclusão Digital.
Esta carta expressa o consenso, trabalhado a partir dos avanços já consolidados na V Oficina de Porto Alegre, e os que a subscrevem assumem o compromisso público de fazêla circular amplamente entre gestores públicos nas diferentes esferas governamentais e repercutila junto aos demais organismos da sociedade civil.

Destaques:

20. Que as políticas públicas de Inclusão Digital incluam as questões de gênero, raça, GLBT (gays, lésbicas, bissexuais e traansgêneros), os povos indígenas, quilombolas, assentamentos rurais e as comunidades de pescadores artesanais;

26. Reivindicamos a criação em lei do Conselho Nacional de Inclusão Digital, com ampla participação de entidades da sociedade civil e movimentos sociais. O Conselho deve participar da definição das principais diretrizes da política pública de inclusão digital do país, bem como do cogerenciamento dos recursos públicos previstos para esse fim. A iniciativa deve ser replicada nos Estados e Municípios.

Subscreveram essa carta:

Cidadania Digital
Coletivo Digital
Intervozes
Rede Livre
Rede Marista de Solidariedade (RS)
Rits
Sampa.org

Salvador , 29 de novembro de 2007

Enfrentando o Racismo Virtual: Serpro conclui capacitação de telecentristas do Roda Baiana

O curso de informática com software livre para o primeiro grupo de telecentristas dos terreiros do Engenho Velho da Federação em Salvador (BA) teve o objetivo de ampliar a inclusão social dos habitantes da área. Os jornais baianos divulgam o assassinato de um jovem de 25 anos no Engenho Velho da Federação, bairro de baixa renda e de maioria negra em Salvador. Notícias sobre violência vinculadas à localidade são freqüentes e deixam em estado de alerta moradores e autoridades.

No mesmo bairro, o Serpro, com a parceria de universidades, governo estadual e administração municipal, inaugurou três telecentros em terreiros de candomblé, dando continuidade ao projeto Roda Baiana, que tem o objetivo de ampliar a inclusão social e digital dos habitantes da área.No mesmo dia em que o jovem Wilton de Souza foi morto a tiros, a primeira turma de 14 telecentristas dos terreiros foi formada em curso com introdução a informática, internet, sistema operacional linux e BrOffice, com duração de 80 horas/aula nas dependências da Regional Salvador.

No encerramento realizado ontem, as próprias alunas e alunos destacaram que o projeto é uma excelente iniciativa para transformar o bairro em que vivem. “Estamos aqui para mudar a realidade de violência do Engenho Velho da Federação”, afirmou Andrea Batista Pinto, participante do curso.Agentes de mudançaUm dos professores da atividade e representante da área de redes do Serpro, Cristiano Silva, declarou-se feliz pela oportunidade de compartilhar conhecimentos, mas também atribuiu responsabilidades ao grupo. “Vocês agora são mensageiros de boas notícias”, referiu-se Cristiano, ao dizer que cada um dos presentes pode trabalhar para mudar as manchetes do bairro.

O coordenador regional de inclusão digital do Serpro, Jorge Vasconcelos, ressaltou a elevada auto-estima dos jovens formados mesmo diante das adversidades, lembrando aos mesmos que este é um momento que se tem de agarrar e levar para toda vida e para outras pessoas. Outra aluna, Cristiane Santos, também confirmou a importância do projeto. “Esta é uma porta que se abre”, declarou.

Trabalho socialNos três terreiros, que há três meses já contam com os telecentros, vários trabalhos já são desenvolvidos, entre eles, capoeira, dança, música, fotografia, alfabetização infantil e de adultos, bordado, culinária, curso de formação de raça e gênero, oficinas de costura e plantas medicinais.

Fonte: http://www.inclusaodigital.gov.br/inclusao/noticia/serpro-conclui-capacitacao-de-telecentristas-do-roda-baiana
Por Laura Tresca última modificação 04/09/2008 15:39

CURSO GÊNERO, RAÇA E INCLUSÃO DIGITAL

A partir do próximo dia 08 do corrente mês, a Superintendência Especial de Políticas para as Mulheres de Salvador realizará a aula inaugural do curso Gênero, Raça e Inclusão Digital que será ministrado em quatro comunidades de Salvador: o Centro Histórico, Jaguaripe II, Calafate e Planalto Real e Plataforma.

Estes bairros foram escolhidos devido à concentração de populações menos assistidas da cidade (carente de serviços), e atendendo a antigas reivindicações destas organizações, que já possuíam estruturas, mas não tinham os profissionais. A proposta é levar o curso, que já é oferecido na sede da SPM desde 2006 (e já formou cerca de 3.000 mulheres), nos bairros onde residem.

Para muitas mulheres o deslocamento significa um custo alto. Com as aulas sendo oferecidas perto de suas casas, além da economia, elas são mais estimuladas a participar, pois suas colegas são suas amigas e vizinhas. A interação com a turma flui bem melhor e representa uma aproximação significativa da SPM com as comunidades, afirma Eliane Boa Morte, responsável pelo curso.

Fonte e mais informações: Site Correio Nagô

8 de set de 2008

Notícias: 2ª Semana Estadual de Tecnologia da Informação e Comunicação da Bahia‏






Enfim, recebo a comunicação de que estou inscrito na 2ª Semana... só me resta me preparar para entrar na discussão sobre esta temática no intuito de problematizar a discussão racial na construção desta discussão relativa à TIC's. Certamente serão discussões calorosas. Imagino poder levantar algumas das questões trabalhadas no blog.




Serão 4 dias. A cada dia, estarei apresentando uma síntese das discussões, sempre procurando avaliar como esta discussão invisibiliza a participação de negros e negras no processo de desenvolvimento da ciência neste país. Espero que sejam boas discussões.



"De: semana tic (semanadetic@gmail.com)
Enviada: terça-feira, 9 de setembro de 2008 0:02:03
Prezado(a),Gostariamos de informar a confirmação de sua participação na 2ª Semana Estadual de Tecnologia da Informação e Comunicação e lembrar que a mesma tem início amanhã (dia 09) às 18:30 no Hotel Fiesta.




Legenda 1 - Foto mesa de abertura do Seminário. Até parece que as mulheres não estão discutindo, construindo, propondo, falando sobre TIC's.... Basta ver.... quem ocupa os lugares, pelo menos aqui na Bahia, da abertura da 2ª Semana de TIC. Uma aberração... mas vamos lá.

Comunidades negras na América Latina defendem Obama


Bogotá, 30 ago (EFE) - A possibilidade de que o próximo presidente dos Estados Unidos seja negro agrada os latino-americanos de origem africana, que vêem em Barack Obama a oportunidade de acabar com o racismo, disseram à Agência Efe alguns de seus representantes.

"Sua possível eleição (de Obama) como presidente dos EUA representa a quebra de vários estereótipos, o principal deles a discriminação racial", disse Zulu Araújo, presidente da Fundação Cultural Palmares.

Em média, um em cada cinco latino-americanos é descendente de negros e só no Brasil se prevê que a população mulata e negra de 2008 superará numericamente a branca por uma diferença mínima, segundo o Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea).

"Representa um avanço da civilização em um país onde há 40 anos assassinavam Martin Luther King e o Ku Klux Klan atuava impunemente", acrescentou Zulu sobre senador democrata de Illinois, que é o primeiro negro a se tornar oficialmente candidato presidencial nos EUA.

Ela acredita que, se eleito presidente, Obama, que tem como rival o republicano John McCain, desenvolverá políticas de inclusão para os afrodescendentes.

Já no México, os negros têm presença em pequenas regiões de três dos 32 estados do país (Guerrero, Veracruz e Oaxaca) e não têm líderes representativos em nível nacional.

Para Lucía Cruz, da Organização de Desenvolvimento Étnico Comunitário Afrodescendente (ODECA) de Oaxaca, Obama "já ganhou pelo simples fato de ter sido nomeado".

Uma opinião similar compartilha a defensora dos direitos humanos da República Dominicana Sonie Pierre, de origem haitiana, que considera que a candidatura de Obama para as eleições de 4 de novembro reflete que as sociedades estão mudado e avançado.

O primeiro candidato negro ao Governo de Porto Rico, Rogelio Figueroa, assegurou que o fato de os EUA terem "superado o racismo na nomeação à Presidência" permite aspirar a melhores condições sociais.

Douglas Quintero, líder fundador da organização Afroamérica 21, que reúne vários grupos negros da América Latina e do Caribe, com sede no Equador, disse que com a candidatura de Obama, "aos poucos as barreiras e estereótipos vão se rompendo".

"A candidatura de Obama reflete que no mundo atual" basta "ter o conhecimento e a atitude suficientes" para exercer essa responsabilidade, acrescentou.

Um pouco distante desse otimismo, o fundador e ex-diretor da Rede de Organizações Afrovenezulanas, Jesús "Chucho" García, disse que "Obama não representa a posição da diáspora africana nos EUA (e que) sua formação teve mais a ver com a elite branca".

No entanto, García reconheceu que Obama representa "um discurso de novo tipo" nos EUA e no resto do mundo.

Inclusive o ex-presidente cubano Fidel Castro escreveu em uma de suas colunas que "do ponto de vista social e humano (Obama é) o mais avançado candidato à postulação presidencial" e que "não foi responsável pelos crimes cometidos (por Washington) contra Cuba".

Já o deputado uruguaio Edgardo Ortuño, de origem africana e da governista Frente Ampla, acredita que os EUA avançam "rumo à superação de centenas de anos de preconceitos e confrontos provocados pelo racismo". EFE

Fonte:http://g1.globo.com/Noticias/Mundo/0,,MUL748518-5602,00COMUNIDADES+NEGRAS+NA+AMERICA+LATINA+DEFENDEM+OBAMA.html

7 de set de 2008

Artigo: Quebra de sigilo no Orkut: criação de jurisprudência ante a dificuldade de identificação exata do criminoso

Trata sobre os crimes de calúnia, difamação e injúria cometidos no universo virtual, principalmente em sites de relacionamento como o Orkut, a fragilidade de identificação dos criminosos e a dificuldade ainda em puní-los. Continua...

Autora: Fabiana Cristina da Silveira Pereira
Publicado em: 06/09/2008
Fonte: DireitoNet

Arquitetura da informação - Tudo é informado ou informa algo

karina Guimarães

O que é Arquitetura da Informação Web? Podemos defini-la como uma nova ciência subsidiada a um processo de criação, mapeamento e desenvolvimento de sistemas/web. O mapeamento visual e contextual de um sistema, seja ele qual for, torna as informações identificáveis, assimiláveis, claras e aplicáveis a qualquer outro sistema de informação.

A arquitetura visual é aplicada ao contexto do projeto: é definida como o uso de um método particular de construir a informação visual, encontrando assim um equilíbrio da comunicação entre imagens e palavras. Esta nova Ciência conta com sete idéias que nunca devem ser esquecidas: Organização, Navegação, Nomeação, Pesquisa, Desenho e Mapeamento. Abro um parêntese para “desenho” e “mapeamento”. Ambos tangem o desenho visual que subsidiará a estrutura da arquitetura da informação e viabilizará todo o escopo das informações de uma página. Continua...

INDICAÇÃO/ARTIGOS: "AS CIDADES DIGITAIS: OS DESAFIOS NO ORDENAMENTO TERRITORIAL"

Michele Tancman Candido da Silva

A Cidade Digital, conhecida também por Cibercidade, Cidade Virtual, Município Digital ou Virtual, Cidade Eletrônica, Cidade Inteligente e outros nomes, representa uma projeção de simulacrosde diferentes cidades e emerge como uma das forças que contribuem para organização do espaço.No contexto das redes comunicacionais, as especializações e a função social das CidadesDigitais serão definidas pelos seus gestores, indutores e freqüentadores.

A guisa de exemplificação,algumas Cidades Digitais caracterizam-se como culturais por apresentarem uma ênfase nasatividades e divulgações no campo da cultura; outras históricas, por preservarem a história de seusfreqüentadores; e algumas outras apresentam características no campo social, e assim por diante. Infinitamente seriam os exemplos e as possibilidades.
É possível, porém, identificar em todas uma grande agilidade se comparada a uma cidade. Os seus idealizadores são dotados e impulsionados pela criatividade, ainda que estacriatividade se apresente em diferentes estágios.

À medida que a cidade vai se desenvolvendo a performance tende a melhorar. No texto em tela apontaremos ao final, a criação de fóruns intergovernamentais que buscamconsensos mundiais e abordam assuntos relativos a Sociedade da Informação, e como resultado seobjetiva uma visão comum e uma melhor compreensão da transformação da Sociedade. Leia o artigo e faça seus comentários aqui....