17 de ago de 2008

Panorama do Cibercrime no Mundo

Hoje vivemos e trabalhamos num mundo de conectividade global. Nós podemos trocar conversa, instituir novos comportamentos ou realizar transações monetárias com pessoas do outro lado do planeta de forma rápida e barata. A proliferação de computadores pessoais, o acesso à Internet, e um florescente mercado de comunicações relacionadas com novos dispositivos têm mudado a maneira como gastamos o nosso tempo de lazer e da forma como fazemos negócio.

As formas em que criminosos cometem crimes também está mudando. As novas possibilidades de acesso digital abrem novas oportunidades para a prática de tais crimes. Milhões de dólares são perdidos por empresas e os consumidores são penalizados na maioria das vezes. Pior, os computadores e as redes podem ser usadas para perseguir vítimas ou configurá-los para os ataques violentos, até mesmo para coordenar e executar as atividades terroristas que ameaçam principalmente à queles/as que têm acesso. Em muitos casos, a aplicação da lei têm ficado aquém destes criminosos, a falta de tecnologia e de pessoal treinado para fazer face a esta nova e crescente ameaça, que foi acertadamente denominado cibercrime.

Apesar da sensibilização para o fenômeno do cibercrime nos últimos anos, muitos profissionais Tecnologia da Informação (TI) e de profissionais das forças policiais, têm faltado as ferramentas e os conhecimentos técnicos necessários para resolver o problema. As leis são antigas e há poucos precedentes tribunais a orientação nestes tipos de crimes.

Além disso, os debates sobre questões de privacidade prejudicada a capacidade dos agentes de execução para reunir as provas necessárias para processar esses novos casos. Por último, houve uma certa quantidade de antipatia-ou pelo menos, a desconfiança entre os dois mais importantes jogadores em qualquer luta eficaz contra a cibercriminalidade: responsáveis pela aplicação da lei e de computadores profissionais. Ainda uma estreita cooperação entre os dois é fundamental, se se deseja controlar o cibercrime, tornando a Internet um espaço seguro "lugar" para os seus utilizadores.

Tradução livre o artigo contido em: http://www.ritla.net/index.php?option=com_content&task=view&id=4169&Itemid=1

Nenhum comentário: