16 de jul de 2008

INDICADORES INCLUSÃO SÓCIO-DIGITAL

Aqui, inicamos uma discussão sobre INDICADORES SOCIAIS. Estes indicadores necessitam de uma conceituação para dar conta da realidade mundial, nacional e local; guardando-se as suas especificidades para o seu uso em escalas diferenciadas. Interessa-nos aqui, os indicadores que nos permitem verificar a existência do RACISMO VIRTUAL.

Ter estes dados com recorte racial é o centro de nossas atenções, portanto, neste momento, utilizaremos indicadores bastante amplos para situar alguns indices e percentagens que estão sendo geradas por diferentes institutos, organizações, governos, ong's, etc.
~
INCLUSÃO DIGITAL NO MUNDO
  • 580 milhões de usuários internet;
  • Menos de 10% da população mundial têm acesso à rede a partir de suas casas;
  • A taxa de crescimento da internet, mesmo nos países desenvolvidos, não passa de 4%;
  • De acordo com a União Internacional de Telecomunicações (ITU) - a agência especializada das Nações Unidas: ~ Suécia, Dinamarca, Islândia e Coréia do Sul são os países campeões em inclusão digital; ~ Síria, Zimbábue, Nicarágua e Etiópia estão entre os mais excluídos digitalmente;
  • No nível médio de acesso a tecnologias encontram-se países como a Irlanda, a Espanha, o Brasil e o Chile. Logo abaixo em termos de exclusão estão a Turquia, a Venezuela, a África do Sul e a China, dentre outros;

INCLUSÃO DIGITAL NO BRASIL

  • Mais de 90% das pessoas não possuem conexão internet;
  • Somente 12% da população brasileira têm acesso a um computador;
  • Um panorama que nos deixa, dentre 102 países pesquisados, na 39a. posição dos mais incluídos (World Economic Fórum);
  • Segundo uma pesquisa realizada pela Anatel em abril de 2003 referente ao número total de internautas brasileiros, 42% são da classe A, que representa 5% da população total; 48,7% da classe B, 19% da totalidade; e somente 9% são das classes C, D e E, 32%, 42% e 2% da população total, respectivamente.

INCLUSÃO DIGITAL NA BAHIA

Cidades baianas mais incluídas:

  1. Salvador;
  2. Lauro de Freitas
  3. Itabuna
  4. Vitória da Conquista
  5. Barreiras
  6. Feira de Santana
  7. Paulo Afonso0
  8. Alagoinhas
  9. Mucuri
  10. Santo Antonio de Jesus

Cidades baianas mais excluídas:

  1. América Dourada
  2. Cairu
  3. Maetinga
  4. Santanópolis
  5. Manoel Vitorino
  6. Jurucuçu
  7. Ipupiara
  8. Cardeal da Silva
  9. Jaguaripe
  10. Ibipitanga

Um panorama que reforça a necessidade de políticas públicas de inclusão digital, mas não apenas isso. Observar a distribuição da população negra nestes municípios podem nos dar alguns indicadores interessantes, ao mesmo tempo que carecem pesquisas que demonstrem quem de fato é excluído em cada um destes municípios, dos quais, estes 10 figuram de forma exemplar.

Espero poder atualizar esta listagem com a distribuição da população negra em cada um deles. Aqui, AGRADECEMOS COLABORAÇÕES através dos comentários.

Fonte adaptada: http://www.cidadaniadigital.ba.gov.br/inclusaodigital.php?pgid=5

4 comentários:

lanah disse...

Agnaldo, eu também, até uma ano atrás ,nem sabia ligar o pc na tomada,e agora, não sei como conseguia viver sem isso, por aqui ,resolvo a maioria de meus assuntos, tudo via internet, sem falar no melhor ,conhecer pessoas que fazem a diferença , como voce!beijo...Lanah

Adriano disse...

meus parabéns! Só peço um favor pois sou meio ruim p decorar endereços de sites, entao sempre q atualizar manda um e mail avisando blz? Outra coisa, tomei a liberdade de enviar p alguns amigos o endereço
Abraçao

Loran disse...

Olá Agnaldo,

Dei uma olhada no seu blog e gostei muito das informações encontradas. Dados, fatos, conceitos e espaços colaborativos torna o ambiente virtual democrático. Falar de racismo virtual é super importante numa sociedade como essa que se diz "globalizada", mas a gente sabe que na verdade existe uma imposição dos grandes imperialistas. Sugiro para os internautas ler o livro "Por uma outra globalização" do educador Milton Santos.

Abraços

Loran

Anônimo disse...

Olá Agnaldo, recebi o endereço do teu blog através do amigo Adriano de Valença, diferente de muita gente, Adriano dissemina informações importantes! Parabéns pela iniciativa, pessoas como você é que fazem toda a diferença!seu blog vai se tornar mais um instrumento de pesquisa para pessoas que como eu trabalham com políticas de promoção da igualdade.

Forte abraço!

Denise Troina