20 de ago de 2008

Maior feira internacional de games do mundo apresenta lançamentos e discute conteúdos

Muito além da brincadeira

O Centro de Convenções de Los Angeles (Estados Unidos) foi mais uma vez o palco da E3, maior feira de games do planeta. Na edição deste ano, por causa dos lançamentos recentes dos aclamados Playstation 3 e Xbox 360, as principais fabricantes resolveram voltar suas atenções para os jogos.

CONTEÚDO As discussões do encontro pretenderam ir além dos gráficos, jogabilidade e entretenimento. Houve muita conversa sobre o conteúdo impróprio dos games e até sobre racismo. No jogo Resident evil 5, por exemplo, o protagonista Chris Redfield visita a África para combater um vírus que transforma os nativos em zumbis. Para alguns jogadores, trata-se de um desrespeito aos negros. Mas defensores do game alegaram que, na versão anterior (Resident evil 4), Redfield atirava em zumbis espanhóis e ninguém reclamou. Apesar da polêmica, o jogo foi bastante elogiado e deve dar continuidade ao sucesso da série.

COM ISSO SÓ NOS RESTA conhecer o jogo e fazer também nossa crítica. Sabemos que as motivações para a construção destes jogos é econômica e que temos que nos preparar para enfrentar estas situações onde estes jogos se sentem protegidos: no jogo do mercado.

NÃO COMPRAR E DENUNCIÁ-LO É A MELHOR FORMA DE FAZER VALER NOSSA LUTA E NOSSA IDENTIDADE.


Recordo-me de um pensamento de Stuart Hall em Da Diáspora: "Muitos sentem que a "terra" tornou-se irreconhecível (...) todos que estão aqui pertenciam originalmente a outro lugar".



Adaptada a partir de http://www.uai.com.br/UAI

Nenhum comentário: